segunda-feira, 11 de maio de 2015

Como aproveitar um feriado

          Quando estamos cansadas, não vemos a hora daquele feriado/finzão de semana chegar.


Fonte: Mil Dicas de Mãe

          Merecemos e sabemos disso, porque corremos alucinadas durante a semana (muito mais que nossos companheiros), levando e buscando as crianças nas 3.500 atividades semanais que elas têm, vamos ao supermercado, feira (porque é correto que desejemos servir alimentos saudáveis à nossa família e ainda economizar), ajudando nossos filhos na escola, porque sem um empurrãozinho eles não dariam o máximo de suas potencialidades, cozinhando almoços e jantares (devem ser gostosos), preparando lanches, limpando nossas casas, a caixinha de areia do gato, as pilhas de roupas, e ufa, ainda temos que parecer bonitas para não causarmos medo nos amiguinhos de nossos filhos (e o resto do pessoal que nos veem). Com a beleza, perdemos outras 3 horas entre chapinha, pé e mão. Não podemos esquecer do curso de pós-graduação, porque temos que estar sempre atualizadas e cheias de certificados, para trabalharmos mais (mais ainda?).

        Mas eis que enfim chega o tão sonhado feriado! E o que fazemos? Incoerentemente, arrumamos coisas de casa que realmente precisavam ser arrumadas, sob pena de você ser taxada de desorganizada ou relaxada (incrível que ninguém lembra que você não mora sozinha e essas responsabilidades deveriam ser divididas na família, mas isso é um mundo utópico que talvez só o conheçam as mulheres finlandesas, não nós). Fazemos comidas super elaboradas e temos que lavar o dobro de louças e panelas (o que resulta numa comida ótima e uma mulher estressada).
          E surge aquele convite/obrigação que você tanto temia... almoço nos parentes... Iupiii! Que se traduz em um chatíssimo encontro (que nos impede de ficarmos até o meio dia na cama), aonde, para o bem da socialização, ou para não precisar falar, você se enche de comida e doces, e como bônus, ainda sai magoada por um ataque de algum parente neurótico. Nesses almoços você conhece bullying, stalking e todo o gênero de perseguição psicológica.

         Quando você volta para casa, está tão cansada e desanimada que não consegue pensar noutra coisa, senão colocar seu pijama e esperar catatônica a hora de dormir. O feriado acabou!
         E todos aqueles planos de se enfeitar e sair para jantar fora ou só tomar um cálice de vinho com seu amor, ver televisão comendo porcarias com as crianças ou mesmo viajar, simplesmente acabaram.

           Essas são armadilhas que só as novatas devem cair, não nós, mulheres de 40 ou mais!
         Se o tempo não nos deixou mais lindas, mais magras ou mais ricas, uma coisa é certa: ele nos trouxe esperteza.
         Com 40 podemos dizer "Não, obrigada" à qualquer convite que não quisermos aceitar, doa a quem doer. Se dermos uma desculpa qualquer para não participar, estamos automaticamente liberadas de fazer o que quisermos no feriado, ao invés de dividir o mesmo espaço com quem não queremos estar e assim nos liberamos deste elemento de stress.
         Os 40 também nos trazem autonomia para gerir a vida doméstica, e decidir entre esconder as bagunças de nós e do mundo ou arrumar a casa antes da chegada de um feriado.
          Somos as diretoras e juízas de nossos lares e podemos dizer: "No feriado e nos finais de semana, eu não vou cozinhar, lavar ou arrumar nada" e completar com "quem quiser, que faça, desde que deixe tudo arrumado depois".


Uma mãe relaxando no Spa da Clínica Vitaclin
         Se você começar a se impor e colocar regras, a família vai entender (você não tem ideia do que eles podem fazer sem você). E se você é daquelas que pensam que ao demonstrar para seu companheiro que são super-mulheres, eles vão amar e respeitar ainda mais você, está enganada. A mulher que não arruma um tempo para si mesma, acaba ficando estressada, amarga e chata, daquelas que estão sempre reclamando de tudo. Para você ter ideia de que não é isso que eles sonham, podemos dizer que 99,9 % dos homens psicologicamente saudáveis, preferem uma companheira sorridente, arrumada e tranquila, mesmo que a casa esteja um caos.
          E seus filhos o que vão lembrar da vida familiar? Uma mãe estressada nos raros momentos em que podiam estar juntos, ao invés de terem com ela, conversas gostosas, de verem filmes juntos e fazerem passeios agradáveis em família. Tendo lembranças ruins de feriados e fins de semanas, suas crianças e adolescentes também não saberão curtir quando adultos.

          Nossa vida está nas nossas mãos, e também a vida de quem vive conosco. Aproveitar para ser feliz nos fins de semana e feriados é quase que uma obrigação.

       

         
Postar um comentário